Porque e Como Montar um Quarto Montessori

Quando a gente começa a pensar em montar o primeiro quarto da transição de bebê para criança, ouve muito a respeito do quarto montessoriano.

 

Você conhece o método Montessori? Ele foi desenvolvido por Maria Montessori foi educadora e médica, e seu método é conhecido por unir recursos que possibilitam que a criança possa desenvolver suas habilidades e competências de acordo com sua individualidade e seu ritmo de desenvolvimento.

 

O primeiro passo para elaborar um quarto seguindo as orientações de Montessori, deve-se adotar o ponto de vista da criança. Lembre-se: o quarto é da criança. Ela deve curtir e descobrir o novo quarto.

 

Então ele deve ser bonito e funcional. Livros e brinquedos devem ficar ao alcance das mãos. É preciso que a criança consiga acessar esses itens livremente. Desta forma ela se sente estimulada a brincar, experimentar brinquedos e também aprende a guardá-los. Você pode optar por usar uma estante baixa, caixas e até cestos.

 

Segundo Montessori, durante os primeiros anos de vida – inconscientemente de zero a três e conscientemente dos três aos seis- a criança absorve os estímulos de seus ambiente (o que seria por ela denominado de mente absorvente) e desta forma, constrói o homem.

 

Ainda segundo MM, a diferença entre o período crítico (primeira infância dos 0 aos 7 anos) e a fase adulta é que no período crítico os mapas cerebrais podem ser alterados pela simples exposição ao mundo externo porque “a máquina de aprendizado está continuamente ligada”, dizia Montessori.

 

Pensando assim, não tem como pensar num quarto que não esteja focado na criança! 🙂

 

 

O ato de vestir-se marca independência, coordenação motora e criatividade. Por isso procure deixar algumas gavetas acessíveis com peças de roupas básicas para que a criança exercite o ato de se vestir, escolher uma peça para usar no dia ou tentar sozinha calçar os sapatos. Sem dúvida que esse simples hábito de “brincar de se vestir” vai colaborar para que logo adquira autonomia para realmente se vestir sozinha.

 

 

A questão da cama no chão

Fomos criados para acreditar que nossos filhos PRECISAM do berço. Mas a verdade é que não, eles não precisam. Muitas culturas aderem a camas no chão ou grandes almofadões. Se você optar por uma cama no chão vai poder abrir mão de uma grade de proteção. Algumas almofadas ou travesseiros ao redor do colchão são suficientes para garantir a segurança.

 

Você não precisa deixar o colchão diretamente no chão. Pode usar um estrado, tapete, placa vinílica ou de PVC. Aqui em casa usamos placas de tatame. 😉

 

Desta forma você estará garantindo a possibilidade do seu filho usufruir 100% da proposta do quarto montessoriano: livre acesso e amplo desenvolvimento.

 

A cama baixa garante que aos poucos seu filho tenha acesso a ela quando está cansado e aos poucos isso se torna um hábito pra ele. Claro que a cama baixa também possibilita o acesso livre aos brinquedos. Talvez isso gere um pouco de confusão na cabecinha deles no começo. “Oba! Vamos brincar!”.

 

Mas depois que a euforia passar ela vai começar a exercitar a independência na hora de dormir e também quando acorda! Normalmente as crianças quando usam o berço, chamam os pais ao acordar.

 

Mas quando usam a cama baixa e a disposição dos objetos e brinquedos ao seu alcance, ela provavelmente acordará no horário habitual e passará um tempo entretida no seu universo antes de chamar pelos pais.

 

A mobília do quarto infantil é super simples. As crianças não se importam com ter (nós adultos sim), o que elas querem mesmo é SER. A possibilidade de ser livre, independente, confiante, criativo é o que as atrai.

 

Espelho acessível (em que ela possa se ver refletida).

 

Aqui em casa optei por aplicar uma folha de espelho numa das portas do armário. Super funcionou.

 

O espelho proporciona diversas interações. Por algum motivo biológico a criança adora o rosto humano. Então ver um rosto humano refletido já é divertidíssimo para ela. Além disso, ver-se refletido no espelho, reconhecer as próprias feições, expressões, brincar com as partes do corpo é uma grande diversão e garante incríveis descobertas!

Enxergar-se ajuda a criança a se reconhecer como indivíduo o que reforça sua auto-estima e força de vontade.

 

Estantes Baixas

 

Não precisam necessariamente ser estantes. Aqui em casa temos 3 gavetas baixas do armário com peças de roupas e sapatos ele tem porta de correr e fica sempre aberto.

 

For a isso, 2 cestos organizam os brinquedos e nichos quadrados foram dispostos baixinho na parede formando o “corpo de uma casinha de bonecas. O telhadinho fiz com duas fitas de papel de parede.

 

O objetivo é deixar tudo a mão com segurança. Você pode fazer como quiser e achar mais prático.

 

Barra na Parede

 

Barra na parede é muito legal quando a criança começa a dar sinal dos primeiros passos. Ela auxilia nesse processo com mais autonomia. Claro que a criança deve ser acompanhada e orientada na barra. Uma ideia bacana é pendurar objetos que ela goste. Dessa forma será estimulada a alcançá-los. Mas lembre-se: não tenha pressa para que seu filho adquira essa habilidade. Cada conquista tem seu tempo e cada criança também. J

 

Pense em ter apenas os móveis necessários. Assim a criança tem mais espaço para brincar, se movimentar e agir livremente.

 

 

Os Brinquedos

 

Mais uma vez, menos é mais! Não adianta ter uma montanha de brinquedos se eles permanecem empilhados, sem uso. Privilegie brinquedos que estimulem os sentidos. Deixe sempre uma seleção dos brinquedos mais queridos e acrescente novas opções. Não muitas. Meia dúzia ou um pouco mais é suficiente. Mais vira bagunça. rs.

 

Periodicamente troque alguns itens por outros para renovar as escolhas e aguçar a curiosidade. Madeira e metais são os melhores materiais para os brinquedos. Eles estimulam muito mais os sentidos do que o plástico.

 

Livros e música

 

Tanto os livros quanto a música são estímulos importantes.

Livro é bom de qualquer jeito: grande, pequeno, só com figuras ou letras, com texturas ou dobraduras. O importante é tê-los presentes.

 

O ato de folhear um livro já estimula. Exercitar a contação de histórias também. Por isso ler para a criança desde sempre é tão importante. Ver que os pais tem os livros como opção de entretenimento direciona as crianças para o hábito natural da leitura.

 

Quanto a música, ai invés de optar por brinquedos sonoros, prefira os instrumentos musicais, Cds e porque não, experimente cantar! Nada mais gostoso e aconchegante para os filhos que a voz dos pais. Cantar para os bebês é certeza de calma e segurança. Experimente.

 

 

Assista ao vídeo de uma experiência no quarto Montessori: http://youtu.be/FUt__BedajY

 

E para saber mais sobre método Montessori acesse:  www.larmontessori.com

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s